Acontecimentos históricos do dia 5 de Abril

1924 – Nasce no município de Cruz Alta (RS) a pioneira Norma Poetcker, filha de Leonora e Frederico Poetcker (...)

A pioneira Norma Pöttcher com o esposo Arlindo Alberto Lamb (ambos em memória), no dia das Bodas de Ouro. Imagem: Acervo particular da Família AA Lamb
A pioneira Norma Pöttcher com o esposo Arlindo Alberto Lamb (ambos em memória), no dia das Bodas de Ouro. Imagem: Acervo particular da Família AA Lamb
Publicação da Lei Estadual nº 1.783/1918,  que alterou a denominação do município de Iguassu para Foz do Iguassu, no Diário Oficial do Estado. 
Imagem: Acervo Arquivo Público do Paraná - FOTO 2  -
Publicação da Lei Estadual nº 1.783/1918, que alterou a denominação do município de Iguassu para Foz do Iguassu, no Diário Oficial do Estado. Imagem: Acervo Arquivo Público do Paraná - FOTO 2 -
Pioneiro Willibaldo Hoppe, à esquerda, junto a máquina à vapor  logo após a sua explosão. 
Imagem: Acervo Lore Hoppe - FOTO 3 -
Pioneiro Willibaldo Hoppe, à esquerda, junto a máquina à vapor logo após a sua explosão. Imagem: Acervo Lore Hoppe - FOTO 3 -
Historiador Harto Viteck e esposa Elenita com as netas Sofia (e) e Letícia, com as tradicionais cestas de ovos de Páscoa e chocolates, em abril de 2015. 
Imagem: Acervo Elenita Foppa Viteck - FOTO 4 -
Historiador Harto Viteck e esposa Elenita com as netas Sofia (e) e Letícia, com as tradicionais cestas de ovos de Páscoa e chocolates, em abril de 2015. Imagem: Acervo Elenita Foppa Viteck - FOTO 4 -
Despacho decisório (1ª página) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. 
Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 5 -
Despacho decisório (1ª página) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 5 -
Despacho decisório (2ª página) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. 
Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 6-
Despacho decisório (2ª página) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 6-
Despacho decisório (3ª página) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. 
Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 7 -
Despacho decisório (3ª página) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 7 -
Despacho decisório (4ª página e final) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. 
Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 8 -
Despacho decisório (4ª página e final) de mandado de prisão do ex-presidente Lula. Imagem: Acervo da Justiça Federal - 13ª Vara de Curitiba - FOTO 8 -
Empresário Gerson Froehmer reconduzido a presidência da Acimacar, para o biênio 2018/2019. 
Imagem: Acervo O Presente - FOTO 9 -
Empresário Gerson Froehmer reconduzido a presidência da Acimacar, para o biênio 2018/2019. Imagem: Acervo O Presente - FOTO 9 -
Matéria noticiosa do jornal O Presente apresenta a a composição da chapa para a diretoria da ACIMACAR para o biênio 2018/2019. 
Imagem: Arquivo O Presente - FOTO 10 -
Matéria noticiosa do jornal O Presente apresenta a a composição da chapa para a diretoria da ACIMACAR para o biênio 2018/2019. Imagem: Arquivo O Presente - FOTO 10 -
Pesquisador Irineu Lorini e do Departamento Agrícola da cooperativa, Luiz Carlos Rodrigues, do Departamento Agrícola da Copagril. 
Imagem: Acervo Imprensa Copagril - Crédito: Carina Ribeiro - FOTO 11 -
Pesquisador Irineu Lorini e do Departamento Agrícola da cooperativa, Luiz Carlos Rodrigues, do Departamento Agrícola da Copagril. Imagem: Acervo Imprensa Copagril - Crédito: Carina Ribeiro - FOTO 11 -
Werner Tschoeke recepcionado pelo diretor-presidente da Copagril, Ricardo Silvio Chapla. 
Imagem: Acervo Imprensa Copagril - Crédito: Carina Ribeiro - FOTO 12 -
Werner Tschoeke recepcionado pelo diretor-presidente da Copagril, Ricardo Silvio Chapla. Imagem: Acervo Imprensa Copagril - Crédito: Carina Ribeiro - FOTO 12 -
Jogador Biel que fez o seu 600º gol contra o Assoeva, em 05 de abril de 2019, desde que estreou na Copagril Futsal. 
Imagem: Acervo Copagril Futsal - FOTO  13 -
Jogador Biel que fez o seu 600º gol contra o Assoeva, em 05 de abril de 2019, desde que estreou na Copagril Futsal. Imagem: Acervo Copagril Futsal - FOTO 13 -
Atleta Xande que fez o gol de nª 2.700 para a Copagril Futsal desde a estréia do time em 2003 na Liga Nacional de Futsal, no gogo contra o Assoeva, em abril de 2019.  
Imagem: Acervo Copagril Futsal - FOTO 14
Atleta Xande que fez o gol de nª 2.700 para a Copagril Futsal desde a estréia do time em 2003 na Liga Nacional de Futsal, no gogo contra o Assoeva, em abril de 2019. Imagem: Acervo Copagril Futsal - FOTO 14

==============================================================================

1824 - Zarpa do porto de Hamburgo, Alemanha, pelo transatlântico Anna Louise, sob o comando do capitão Johann Heinrich Knaack, a primeira leva de imigrantes alemães para se estabelecer no Brasil, no Rio Grande do Sul. O grupo de imigrantes era composto por nove famílias: Krämer, Höpper, Hamel, Pfingst, Rust, duas famílias Timm, Bentzen e Haacks. Os imigrantes chegaram em solo gaúcho, precisamente em São Leopoldo, em 25 de julho de 1824.

_____________________________________

1918 - É assinada a Lei Estadual nº 1.783/1918, que altera o nome do município de Iguassu  para Foz do Iguaçu e cria o distrito de Guaíra (COSTA, Luiz Alberto Martins da. Calendário Histórico de Toledo. Toledo: Gráfica& Editora GFM, 2009, p. 72). -- FOTO 2 -- 

_____________________________________

1924 – Nasce no município de Cruz Alta (RS) a pioneira Norma Poetcker, filha do casal Leonora e Frederico Poetcker. Em  08 de maio de 1943, ela casou-se com o jovem Arlindo Alberto Lamb na cidade de Três Passos, RS. Em 1960, tornou-se a primeira-dama de Marechal Cândido Rondon,  devido a eleição de seu esposo, Arlindo Alberto Lamb, como prefeito municipal. -- FOTO 1 -- 

_____________________________________

1953 - É Domingo de Páscoa de 1953.

_____________________________________

1968 – É fundada a Sociedade Esportiva e Recreativa Novo Horizonte.

            Primeira diretoria:

            Presidente: Gentil Fávero Forlin

            Vice         : Ilário Froelich

            2º Vice     : Ilmo Kopper

            Secretário: Reinaldo Heinisch

            Tesoureiro: Marianino Ricardi

            2º tesoureiro: Gení Mantovani

            Dir. Social: Guido Ruppenthal

             Dir. esportivo: Pedro Bet

_____________________________________

1971 – Ocorre a explosão da máquina de vapor, de 36 HP, da Madeireira Porto Mendes Ltda., de propriedade do casal Helena e Wilibaldo Hoppe, na sede distrital rondonense de Porto Mendes.  -- FOTO 3 --

Registro feito na página da "Memória Rondonense" em relação ao sinistro: 

Paulo Roberto Prochnow Morava em Porto Mendes quando isso aconteceu. O foguista era o Lucinho Turazzi que ficou muito queimado pela água da máquina que explodiu.
Meu tio que trabalhava com ferro Velho em Santa Catarina comprou a sucata. Ouvimos a explosão em nossa casa em torno das 6:00h mas não sabíamos o que tinha acontecido. A máquina explodiu no porão da serraria e foi arremessada pelo telhado com a força da explosão.

_____________________________________

1977 – Instala-se em prédio próprio a então Casa Guri, de propriedade de Valdir Sippert, à Rua Tiradentes, esquina com a Avenida Rio Grande do Sul. 

_____________________________________

1979 - Chega a Marechal Cândido Rondon, o médico clínico-geral e gastro-enterologista Okifumi Wakita, logo após a sua formatura. Começou a trabalhar no Hospital Marechal Rondon, então ainda de proprietária do Dr. Aylson Confúcio de Lima (Informação repassada pelo médico). 

_______________________________

2015  - É Domingo de Páscoa. -- FOTO 4 --

______________________________

2017 - A Copagril inicia ciclo de reuniões nos núcleos cooperativos com a intenção de envolver o quadro associativo e seus famíliares no conhecimento das atividades da cooperativa (O Presente, ed. 04.04.2017, p. 17). 

_______________________________

2018 - O juiz federal Sérgio Fernando Moro, da 13ª Vara da Justiça Federal , de Curitiba, emite despacho de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, depois da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) ter negado, por maioria de votos 6 a 5, a concessão de habeas-corpus preventino contra a prisão do ex-presidente, no quarta-feira anterior. 

O mandado de prisão contra o político petista gerou forte comoção nacional. 

No mesmo despacho, o magistrado determinou a prisão dos empresários José Adelmário Pinheiro Filho (Léo Pinheiro) e Agenor Franklin Magalahões Medeiros, ambos do grupo empresarial OAS. Junto com o ex-presidente, os dois foram foram setenciados com a pena de prisão por corrupção. -- FOTOS 5, 6, 7 e 8 --

A agilidade da decretação da detenção, abriu espaço para muitos questionamentos e dúvidas, principalmente de defensores e simpatizantes do ex-presidente.

Junta-se ao presente texto, em anexo, reproduzida, matéria publicada pelo portal OPovo Onlinede Fortaleza, Ceará, no dia  seguinte ao despacho de prisão, com o título "Moro poderia decretar prisão de Lula? Veja os que dizem os juristas. A publicação é bastante explicativa quanto a questão: 

Moro poderia decretar prisão de Lula? Veja o que dizem juristas

ANÁLISE

Após decreto de prisão do ex-presidente Lula (PT) ter sido despachado pelo juiz federal Sergio Moro menos de 24 horas depois de encerrado julgamento de habeas corpus do petista no Supremo Tribunal Federal (STF), questionamentos foram levantados pela defesa e aliados de Lula, e mesmo juristas, sobre a necessidade e legalidade de prisão tão célere.

Em entrevista após notícia de prisão, Lula argumentou que a decisão era um "absurdo" e que mostrava que juiz "agiu politicamente", em abuso de poder, para impedir direito de defesa, por "não ter respeitado" julgamento do segundo embargo de declaração – que deveria acontecer dia 9 –, tendo se antecipado à sinalização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio de que seria favorável a uma liminar de Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC) – que poderá ser julgada na próxima semana.

Contudo, como argumenta o juiz Ricardo Alexandre Costa, presidente da Associação Cearense de Magistrados (ACM), Sergio Moro não tinha escolha. Segundo ele, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), onde Lula foi julgado em segunda instância, recursal, negou os primeiros embargos de declaração e determinou a aplicação de súmula que dá início ao cumprimento de pena.

"Aí, o juiz de primeiro grau, concorde ou não, é obrigado a cumprir o que mandou esse tribunal superior. Tecnicamente, ele era obrigado a cumprir e não pode protelar, até porque poderia cometer crime de prevaricação", diz o magistrado.

No despacho da prisão de Lula, o juiz Sergio Moro cita o ofício do TRF-4 que determina que "deve ser dado cumprimento à determinação de execução pena", considerando que a instância foi exaurida e não há "qualquer óbice à adoção de providências necessárias para a execução". Logo abaixo, em grifo de destaque, Sergio Moro escreve que "deve este Juízo cumprir o determinado" pelo tribunal "quanto à prisão".

No entanto, a decisão de dar início à prisão antes de julgamento dos embargos dos embargos de declaração foi de vontade de Sergio Moro, de acordo com o professor e doutor em Direito Penal da Universidade Federal do Ceará (UFC), Daniel Maia. "Não era obrigado nem a esperar nem mandar prender agora. Foi uma opção dele, Sergio Moro", entende o professor.

Concorda com ele Vladimir Feijó, professor de Direito Constitucional do Ibmec de Minas Gerais, para quem é um "ato de vontade do juiz determinar a prisão". "O TRF-4 não tem poder de mandar o juiz determinar. No máximo, dá notícia ao juiz de que o embargo foi julgado."

Segundo Feijó, o ofício do TRF-4 indica apenas que o julgamento "passa para a próxima fase", noticiando que a instância "não vislumbra mais possibilidade de recurso" – até mesmo "ignorando a existência de um recurso do regimento interno do tribunal e cerceando esse direito", em referência ao julgamento do segundo embargo no próximo dia 9.

Vladimir Feijó, no entanto, reconhece procedência no argumento do presidente da ACM de que a demora de Moro em executar o cumprimento de pena poderia configurar crime de prevaricação, e que "é verdade que o juiz tem que atuar em celeridade". Mas questiona: comparado a outros tantos processos, o ritmo foi recorde. "Não porque ele recebeu na quinta-feira que ele tem que expedir na própria quinta-feira. Isso é porque um juiz dá prioridade acima de outros (processos). Compete a ele decidir o momento de cada um."

Não é o que entende o desembargador do Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF), Flavio Britto. "O dever de ofício obriga a cumprir. Se ele assim fizesse, ele estaria passivo de responder uma ação administrativa no Conselho Nacional de Justiça, bem como ação penal perante o TRF-4 por crime de prevaricação."

Conforme Flavio Britto, o volume de trabalho em uma vara judicial acaba realmente protelando despachos mais recentes, mas o desembargador entende que há agilidade na vara de Sergio Moro, sendo o decreto de prisão de Lula "absolutamente legal e dentro do ordenamento jurídico".

O desembargador ainda retruca alegação de que o segundo embargo de declaração deveria ser respeitado, ao argumentar que o TRF-4 seguiu entendimento comum dos tribunais regionais de considerar haver "resquícios de caráter protelatórios, prima face" neste recurso – diferentemente do primeiro recurso de embargo de declaração, que possui natureza integrativa, passando a integrar o julgado.

"É comum considerar assim. Se a questão posta fosse um processo cível, por exemplo, esse segundo embargo de declaração geraria, inclusive, multa financeira (para o julgado), por serem protelatórios", diz Flavio Britto. 

____________________________________

2018 - Começa em Entre Rios do Oeste e vai até o dia seguinte, a 27ª Feira do Comércio da cidade, orgnaizada pela Associação Comercial e Empresárial de Entre Rios do Oeste (ACIER) e Conselho da Mulher Empresária (O Presente, ed. 03.04.2018, p. 19).

_______________________________      

2018 - Acontece a eleição da diretoria da Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon (ACIMACAR) para o biênio 2018/2019, com a recondução do empresário Gerson Froehner à presidência da entidade classista rondonense. -- FOTOS  9 e 10 -- 

_____________________________________

2018 - A Copagril recebe a visita de Irineu Lorini, coordenador do programa Embrapa Soja, para obter amostras da leguminosa nas unidades da cooperativa de Marechal Cândido Rondon, Margarida, Mercedes, Entre Rios do Oeste, Bela Vista (Guaira) Sub-Sede (Santa Helena) e São José das Palmeiras, das safras 2017/2018. 

Com o programa, a Embrapa pretende realizar um encontro nacional de pesquisadores com objetivo de debater os resultados da pesquisa para posteriormente apresentá-los às empresas e entidades parceiras e posteriormente realizar a publicação. -- FOTO 11 -- 

_____________________________________

2018 - Visita a diretoria executiva da Cooperativa Agroindustrial Copagril, o engenheiro-agronômo Werner Tschoeke, que após trabalhar 50 anos no Banco Regional do Desenvolvimento do Extremo-Sul (BRDE), está em fase de desligamento da instituição. -- FOTO 12 --

_______________________________________

2019 - A Copagril Futsal estréia na Liga Nacional de Futsal 2019,em jogo contra o Assoeva, da cidade Venâncio Aires (RS), no Ginásio de Esportes  Ney Braga, na cidade de Marechal Cândido Rondon. A equipe rondonense venceu o jogo por 5 x 2, com gols dos jogadores Suelton (2) Biel, Grillo e Xande. 

Três fatos históricos foram registrados neste jogo: o atleta Biel marcou o seu 600º  gol pela Copagril Futsal desde a sua estreia na equipe em 2009; o jogador Xande marcou o gol 2.700 do time desde que estreou na Liga, em 2003; e o radialista Anderson Picolo narrou a partida  806 desde a sua estreia na transmissão dos jogos da Copagril Futsal há 16 anos.  -- FOTOS 13 e 14 --

________________________________________

Compartilhe

COMENTÁRIOS

Memória Rondonense © Copyright 2015 - Todos os direitos reservados