Ser colono na fronteira: a singularidade da Colônia Militar de Foz do Iguaçu (1889/1910).

Pioneiros 05 de Novembro de 2018

O título se reporta a um excerto produzido por Antonio Marcos Mysiw a partir de sua tese de doutorado na Universidade Federal Fluminense (UFF), em 2009. 
Nesse trabalho, o autor se detém, inicialmente, em apresentar elementos informativos e reflexões sobre as origens da Colônia Militar de Foz do Iguaçu, em cujo território estavam inseridos os atuais municípios da Comarca de Marechal Cândido Rondon. 
Na sequência, aborda os critérios dispendidos pelos administradores militares para atrair colonos e assentá-los nas despovoadas áreas urbanas e rurais adjacentes ao núcleo urbano sede, visando à produção de alimentos agrícolas e pastoris para abastecer a população local de víveres e também à extração da erva-mate e madeira na região.   

Por fim, o protagonista do fragmento textual discorre sobre os relatos de viajantes de passagem pela unidade colonial-militar, bem como sobre os relatórios elaborados pelos administradores quanto aos avanços e recuos no progresso da administração e das atividades agropastoris da Colônia. 

O texto, de fácil leitura, é bastante interessante para quem quer se inteirar sobre os primórdios da ocupação ou colonização do Oeste Paranaense.

 

 



(Em preparação técnica para a postagem do texto). 

Compartilhe

COMENTÁRIOS


Memória Rondonense © Copyright 2015 - Todos os direitos reservados